Pular para o conteúdo
Voltar

Museu de História Natural reabre as portas com programação especial

As atividades com temática natalina serão de quinta-feira (14) até domingo (17) com entrada gratuita
Assessoria | SEC-MT

O Museu de História Natural Casa Dom Aquino conta com exposições permanentes voltadas ao universo das ciências naturais - Foto por: Divulgação/SEC-MT
O Museu de História Natural Casa Dom Aquino conta com exposições permanentes voltadas ao universo das ciências naturais
A | A

O Museu de História Natural Casa Dom Aquino, em Cuiabá, reabre as portas ao público nesta quinta-feira (14.12) com uma Feira de Natal. A programação, que vai até domingo (17.12), está voltada para toda a família e inclui visitação guiada, feira de artesanato, apresentações culturais e shows musicais. A entrada é gratuita. O Museu está localizado na avenida Beira Rio, nº 2000, em Cuiabá.

A cultura indígena também estará em destaque com atividades do projeto Práticas e Saberes Indígenas, do Ponto de Cultura Casa Dom Aquino. O ponto de cultura foi um dos selecionados em edital da SEC-MT e Ministério da Cultura (MinC). Entre essas atividades estão os cantos e rodas de conversa, bem como o artesanato indígena dos povos xavante, bakairi e bororo, que estarão no Museu para essa troca com o público.

O espaço será administrado de forma compartilhada pela Secretaria de Estado de Cultura (SEC) e Instituto de Ecossistemas e Populações Tradicionais (Ecoss), por meio de um contrato de parceria, e funcionará como um centro referência em paleontologia, arqueologia e cultura dos povos tradicionais.

O Museu está instalado na Casa Dom Aquino, imóvel considerado Patrimônio Histórico do Estado, construído pelo patriarca da família Murtinho em 1842, para ser sede da Fazenda Bela Vista. O espaço conta com exposições permanentes voltadas ao universo das ciências naturais, com destaque para os fósseis de animais da região, organizados cronologicamente, representando a evolução biológica através das Eras geológicas. Réplicas de preguiça gigante (Eremotherium Iaurillardi), dinossauros (saurópoda) e animais marinhos também estão no local.

A exposição arqueológica permanente conta a história de Mato Grosso por meio de artefatos produzidos pelo homem desde a pré-história até os dias atuais. Fazem parte da exposição instrumentos do homem caçador-coletor e do homem ceramista, como pontas de lança de pedra lascada, machadinhos de pedra polida e fragmentos de cerâmica. Encontram-se expostos também louças, cerâmicas neo-brasileira, moedas e outros objetos encontrados nos casarões de engenho de Mato Grosso.

O visitante pode também observar um pouco dos achados arqueológicos encontrados nas escavações realizadas no próprio espaço onde se encontra o museu e em antigos engenhos de cana-de-açúcar que existiam na região no século XVIII e XIX. As louças, cerâmicas neo-brasileira, moedas e outros objetos contam um pouco da história da colonização de Mato Grosso.

Ao redor da casa há uma área verde com árvores centenárias, orquidário e viveiro de mudas silvestres.

A feira é resultado de uma parceria entre Archaeo Pesquisas Arqueológicas, a Secretaria de Estado de Cultura (SEC), o Instituto Ecossistemas e Populações Tradicionais (ECOSS) e o programa Ponto de Cultura do Governo Federal.

Confira a programação

Quinta-feira (14)

16h – Abertura

19h – Show com a banda Conexão Dunga (MPB)

20h – Show com a banda 20/10K(rap)

Sexta-feira (15)

16h – Início das atividades

17h – Moda de viola com Diogo Ribeiro

18h – Show sertanejo com Erik e Brenno

19h – Stand up comedy com Moacir Jr.

20h – Show sertanejo com Alex e Adriano

Sábado (16)

9h – Início das atividades

10h – Contação de histórias com Teatro Ruante (RO)

11h – Palco livre

15h – Contação de histórias com Teatro Ruante (RO)

16h – Canto indígena com Teromhi’eiwe, do povo Xavante

17h - Show de forró com Mendel Viola e Edivan

18h – Palco livre

20h - Show de reggae com Ana Raquel e Khris Amorin

21h- palco livre                               

Domingo (17)

9h – Início das atividades

10h- Contação de histórias com Teatro Ruante (RO)

11h - Palco livre

14h - Contação de histórias com Teatro Ruante (RO) 

15h - Canto indígena com Teromhi’eiwe, do povo Xavante

16h - Música eletrônica com DJ Paulo

18h - Palco livre

20h - Encerramento