Pular para o conteúdo
Voltar

Plataforma digital das famílias da Casa Barão de Melgaço ganha reforço

Projeto contemplado em edital da Secel utiliza equipamentos de última geração para garantir a qualidade na digitalização do acervo
Cida Rodrigues | Secel-MT

Divulgação
A | A

Em processo de execução para lançamento em abril, o projeto Plataforma Digital das Famílias da Casa Barão de Melgaço está sendo desenvolvido com equipamentos de última geração, locados recentemente para qualificar o trabalho de digitalização dos documentos e demais imagens que integram o acervo. 

Datado da segunda metade do século XIX até a segunda do século XX, o precioso acervo contém documentos pessoais e familiares, produções intelectuais inéditas e já publicadas, e fotografias que pertenceram às famílias Mendonça, de Estevão e Rubens, e Rodrigues, de Firmo e Dunga. Os documentos fazem parte do arquivo da Casa Barão de Melgaço e contam a história dos ilustres membros do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso e da Academia Mato-grossense de Letras.

Com a aprovação do projeto no edital MT Criativo promovido pela Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT) com recursos da Lei Aldir Blanc, em breve  o acervo será disponibilizado digitalmente na íntegra, possibilitando seu acesso a todos os interessados.

Instalados na sala inferior da varanda da Casa Barão de Melgaço, os equipamentos locados  irão  garantir a qualidade dos documentos digitalizados, oferecendo aos pesquisadores o conteúdo em alta resolução, todo catalogado e com a inserção de palavras-chaves que facilitarão as pesquisas.

“O objetivo desse esforço é o de tornar as informações em imagens de alta qualidade, a fim de que o consulente possa reproduzir as imagens, aproveitando-as em seus trabalhos”, afirma a idealizadora do projeto, a professora doutora Elizabeth Madureira Siqueira. 

A professora explica ainda que cada família está dividida em grupos facilitadores de pesquisa, que incluem: documentos pessoais, documentos de família, produção intelectual (original e publicadas), universo de interesse e fotografias. 

Na plataforma digital, os pesquisadores poderão acessar diretamente os acervos das famílias, acionando os grupos facilitadores e os documentos formatados em pdf. 

"Esperamos, com isso, que sejam desenvolvidos mais estudos científicos sobre Mato Grosso, sua produção intelectual e personalidades ligadas à sua trajetória”, destaca Elizabeth.

Com informações da Assessoria