Pular para o conteúdo
Voltar

Treze índios xavantes realizam prova de carro para obter a primeira habilitação

A realização do exame prático faz parte do projeto “Índio no Trânsito”, realizado pela 5ª Delegacia da Polícia Rodoviária Federal de Mato Grosso e executado pelo Detran-MT
Lidiana Cuiabano | Detran-MT

Índios xavantes após a realização da prova prática de carro - Foto por: Detran-MT
Índios xavantes após a realização da prova prática de carro
A | A

Na terça-feira (31.08), 13 índios da etnia Xavante realizaram a prova prática para categoria B (carro), no município de Primavera do Leste, na etapa final do processo para obter a primeira habilitação.

As carteiras de habilitação serão entregues aos indígenas no dia 24 de setembro, na Semana Nacional do Trânsito.

A realização do exame prático faz parte do projeto “Índio no Trânsito”, realizado pela 5ª Delegacia da Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Mato Grosso e executado pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT), por meio da 40ª Ciretran de Primavera do Leste, com apoio dos Centros de Formação de Condutores do município e da Cooperativa Agropecuária Primaverense (Cooaprima).

O projeto, além de proporcionar acesso ao processo de formação de condutor para obtenção da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), também leva a comunidade indígena conhecimento sobre legislação de trânsito, noções de cidadania, direitos e deveres do cidadão, entre outras informações.

“Há um longo caminho a percorrer, mas esse é o começo de uma nova história para os xavantes. É uma contribuição da Polícia Rodoviária Federal, Detran-MT e demais parceiros para promoção da Segurança Pública e equidade de oportunidades”, ressaltou a chefe da 40ª Ciretran de Primavera do Leste, Lenice Freitas Teixeira.

O início

O projeto “Índio no Trânsito” foi lançado na Semana Nacional do Trânsito de 2020 com uma aula inaugural na aldeia Sangradouro, com a participação dos representantes da Funai, Detran-MT, PRF, Cooaprima, Sindicato Rural e os Centros de Formação de Condutores do município. O público alvo foi a comunidade indígena xavante de 20 aldeias, selecionados pelos respectivos caciques.

A execução do projeto iniciou com a abertura do processo de primeira habilitação para categoria B, respeitando ao disposto no artigo 147 Código de Trânsito Brasileiro e resoluções vigentes, dando lisura a todas as etapas, que foram acompanhadas por representante da PRF e da 40ª Ciretran de Primavera do Leste.





Editorias